quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Relembrar Robert Enke…

...e muito mais.
Em dois extraordinários textos (aqui e aqui) no Red Pass – JG ao mais alto nível, à Benfica no fundo.

PS: Neste blogue nada se disse sobre o trágico desaparecimento do jovem alemão. Se nada se disse é porque está tudo dito.

[Actualização: aqui (link) está a terceira parte de um conjunto magnifico de textos; a memoria é uma coisa extraordinária]

2 comentários:

Nuno Santos Silva disse...

Tens razão.
Nada se disse porque nada mais há a dizer, e às vezes o nosso silêncio é melhor homenagem.
Na noite em que se seoube do sucedido (e ainda se desconheciam as circunstâncias da morte), ainda comecei a escrever um post laudatório, mas de repente... deixou de fazer sentido.
O Enke é um dos nossos, ponto final.

Dylan disse...

Robert Enke veio para o Benfica para substituir o extraordinário Michel Preud'homme e não defraudou as expectativas. Pelo seu talento e qualidade foi chamado à selecção alemã, lugar por onde passaram grandes lendas como Harald Schumacher. Terá vivido os dias mais felizes em Lisboa, longe de imaginar a tragédia que iria irremediavelmente afectar a sua vida e da família. Apesar da sua juventude, a adaptação a um novo país e a falta da conquista de títulos desportivos, nunca foi impedimento para dar todo o seu empenho e profissionalismo dentro do campo. Fora dele, era o expoente máximo de bondade, pois dividia-se entre projectos de solidariedade e o amor aos animais, sem esquecer as preocupações com o meio ambiente. Guardarei na memória a chegada à Portela de um Homem com cara de menino, à procura da glória num clube enorme, tão grande como o seu coração.

http://dylans.blogs.sapo.pt/