sexta-feira, 30 de junho de 2006

A quadratura da bola (XVIII)

…mas ainda existem duvidas - pelo menos a este nível - sobre o confronto de amanhã ?





Com o alto patrocínio do sempre atento Megafone.

PSL

A quadratura da bola (XVII)

O melhor golo deste mundial

Advertência: Só por acaso este é mais um post sobre futebol.
O melhor golo deste mundial não foi apontado dentro de la cancha. Não foi um pontapé ou cabeçada. Não teve sequer um esférico pelo meio e muito menos uma rede a balançar.


O melhor golo deste mundial foi marcado em frente de muitos microfones, câmaras de TV e umas dezenas de arrogantes profissionais da comunicação social Inglesa.
O melhor golo deste mundial foi marcado há quarenta e oito horas quando o nosso Pauleta ripostou à entrada maldosa de uma miúda jornalista Inglesa, rematando a questão (de quem Portugal tinha mais medo da selecção ou da comunicação social Inglesa?) com o nosso passado e a nossa história. O respeitinho ainda é muito bonito e o historicismo axiológico não é património intelectual dos filósofos.
Alias, se Miguel Reale ainda fosse vivo e em vez de cogitar sobre o tridimensionalismo jurídico tivesse abraçado o tridimensionalismo da bola, teria por certo aplaudido de pé este golo fantástico.

PSL

Há Liberdade (XXVI)

voando_alto

Voando Alto por Marcelo Piu

quinta-feira, 29 de junho de 2006

O tempo vai passando por toda gente...



...mas só uma imensa maioria finge que ele não passa pela perna de Cristiano Ronaldo!

NCR

quarta-feira, 28 de junho de 2006

Porque é que nunca gostei muito de Sociologia?!

Preâmbulo do Exame de Sociologia do 12.º ano de dia 20 de Junho:



Confuso? Complicado? Incerto? Critérios?!

É a Sociologia, estúpido! :-)

NCR

terça-feira, 27 de junho de 2006

Isto sim é inovação…

É com medidas destas, importantes e difíceis de implementar, que os portugueses entendem o verdadeiro sentido de coisas como o simplex e o choque tecnológico.

Os CTT lançam terça-feira o novo serviço ViaCTT, que permite que todos os cidadãos e empresas tenham uma caixa de correio electrónica, numa cerimónia com a presença do primeiro-ministro, José Sócrates, e do ministro das Obras Públicas.

Ao menos por estes dias o governo devia ter nojo, e abster-se de continuar a tratar os Portugueses como papalvos. Ao invés podia seguir o exemplo daqueles que andam lá fora a lutar pela vida ao pontapé no esférico. Esses sim, vão fazendo o seu trabalho com seriedade e profissionalismo dando a cara aos adversários. Por cá, os adversários do futuro, são tratados pelo governo de forma amadora e displicente.
Se este governo fosse uma selecção de futebol ou era o Liechtenstein ou as Ilhas Faroé. Sempre a ser goleado no jogo do futuro, da educação, inovação e competitividade. Não passaria nunca das fases de qualificação, nunca!

PSL

segunda-feira, 26 de junho de 2006

Mais um regresso



Este fim-de-semana voltei ao mar. Já não estava com ele há mais de dois meses. Uma separação forçada pelas agruras do meu tempo e do Tempo, mas não o esqueci. Esteve sempre comigo, mesmo sabendo que o fim-de-semana não iria ser nosso amigo. O tique de ver o offshore e o beachcam à sexta-feira não perdoa à lógica da vontade. Depois de todo este afastamento, a bonança. Não esteve muito bom, mas diverti-me e, mais importante que tudo, saí feliz da água, aquela sensação que muitos, muito poucos conhecem. Uma sensação primeiro ofegante, depois de leveza, por último de pureza. Ergue-se a cabeça melhor que dantes e quebra-se a rotina mental da vivência monotonamente urbana. Foi mais um regresso, que nada teve de especial em relação a outros, para quem anda nisto há mais de uma década. Mais um, sim. Mas só alguns conhecem a felicidade carregada com que se pronúncia ou escreve este Mais um. Tem toda uma história única de contentamento corporal com as mulheres do mar: as ondas.

NCR

Tomaras e uma equipa da qual nos podemos orgulhar

Tomara que o país e os portugueses em momentos difíceis tivessem a garra e a união que ontem a equipa portuguesa demonstrou contra a holandesa. Portugal tem uam equipa muito acima do nível médio de Portugal, de topo mundial mesmo, apesar de muitos não se darem conta disso, apesar de todas as dificuldades naturais e imprevisíveis.



O que quero escrever aqui hoje, e enaltecer, é sobre esses dois grandes atributos que acima referi e que tenho visto desde o primeiro jogo, cujo porta-estandarte nomeio Figo. Figo é um orgulho nacional a vários níveis, não é só no futebol. Figo tem sido um verdadeiro Afonso Henriques nesta guerra acumulada de batalhas desportivas (e por vezes anti-desportivas, como vimos ontem). Pode parecer corriqueiro, mas emocionei-me ontem ao ver a sua atitude em campo, sobretudo quando não tinha a bola. A determinação na procura da bola, a ajuda incansável aos colegas da defesa e aquele suor na camisola - repararam? compararam-na com as outras camisolas? -, aquela camisola dizia tudo, completamente encharcada pelo fôlego de Morfeu, o deus dos sonhos. A culminar, veja-se a sua atitude quando foi substituído, foi de facto deveras emocionante o modo determinado e liderante com que se dirigiu a vários jogadores como se as suas palavras transportassem o sopro de Niké, a deusa da vitória. A excelência está nos detalhes. e já não bastava todas estas qualidades, ainda consegue ser dos melhores jogadores do mundo com a bola nos pés. Tomara que todos nós fossemos, nas nossas profissões, como o Figo é a trabalhar. Não há que ter vergonha de o dizer, pois muitos portugueses são excelentes no que fazem.



Se Scolari tem um anjo, um anjo português, que se transcende com eficaz elegância, com nome vindo da Dinamarca, um anjo que não voa, mas faz voar, a bola que tanto gosta de pont(ap)ear - podemos dizer que Portugal tem um deus, com nome de fruto. E só não vê quem reduz o futebol ao buraco de uma baliza!

Churchill, no seu discurso de estreia como primeiro-ministro em 1940, escreveu e disse "...Não tenho nada a oferecer-vos senão sangue, trabalho, suor e lágrimas...". Normalmente somos um povo sem vergonha, excepto no elogio e na crítica construtiva. Por isso, e apesar de não ser uma regra lusa, elogio Figo e a equipa portuguesa. E a frase de Churchill aplicada ao futebol, parece-me ser o lema de Figo e da equipa portuguesa. Tal como Churchill pretendia, tal como deve ser na vida, é a coragem, a determinação e a união que fazem a história das guerras, mais do que a contagem dos mortos e feridos.

NCR

A quadratura da bola (XVI)


A dificuldade está mesmo na escolha das palavras e das imagens para ilustrar a brava vitória de ontem. Não conhecia esta sensação de tanto sofrer pela selecção. Para mim é novidade, porque até ontem sofrer daquela maneira só mesmo pelo meu querido clube.
E já agora…, aqui se reproduz o recado do Almocreve. Está tudo dito:

Aos que vaticinavam mil desgraças e celebravam maldições a jogadores e à equipa técnica, de novo o céu lhes caiu sobre as cabeças. Aos tumultos de Pinto da Costa, Manuel Serrão ou, mesmo, de Rui Santos, o grupo de Portugal deu um testemunho de valentia, uma bofetada de paixão, uma lembrança cruel. E que merece ser louvado. Aos que desprezam o futebol, com a perversidade do politicamente correcto enquanto expurgam as paixões da vida tão putativamente vivida, que não desistam: um dia sereis, fatalmente, felizes.


Só mais um pormenor. E não é que até agora as contas à lagarto acertaram na mouche…

PSL

PALETA DE PALAVRAS XLVII

«The sentiment of justice is so natural, and so universally acquired by all mankind, that it seems to be independent of all law, all party, all religion.»

Voltaire (1694-1778)


(Para o PSL)

NCR

Para Johnny Cash



«Da letra, do rosto, da voz
da rosa à mariposa...

...um dia, acontece-nos a todos,
num dia, aconteceu-nos.

uma noite, somos luz e caminho,
numa noite, somos pedra e destino.

uma vida é um dia numa noite de cor.»


Miguel Pessoa Campomaior

ESPUMAS XXIX

«A verdade, no fim do dia, é o que conta mais para as nossas vidas». Esta foi a última frase que li no rodapé de uma série que procura, em tempo actualizado, ser real. Não sei se é assim. Não sei sequer se existe a verdade. Porventura, nem é importante a verdade. Na maioria dos casos, a verdade não tem efeitos. Se uma criança faminta disser que está com fome, diz a verdade, mas isso não significa que tenha algo para comer ou que alguém lhe forneça comida. Se um velhote só e sem casa escrever no cartão que o abriga a sua condição, escreve a verdade, ainda que passem centenas de pessoas por ele todos os dias, e daí também não significa que consiga alguém para lhe fazer companhia. Existe a verdade? Não, mas existem muitas verdades. O que é uma verdade? Todos nós a temos. Não há alma que não procure a sua. Uns, mais pelas palavras do que pelos os actos, outros, mais pelos actos que dos sentimentos, aqueloutros, mais pela emoção que pela razão, e todos os outros, buscam-na na vice-versa de todos os outros. Uma coisa é certa: a verdade de cada um, simultaneamente, não consegue mentir nunca, ao mesmo tempo, toda a gente e para sempre. E é isso que falta a muita gente, gente boa, em busca desse Graal antídoto da artificialidade, arqui-inimiga da verdade, da nossa verdade. A verdade é, portanto, um conceito construtor, a arquitecta do destino. A descoberta da nossa verdade é a vida do seu sentido. Uma busca que põe à prova, diariamente, a nossa naturalidade e espontaneidade contra os benefícios da imagem e da reserva mental. Até os que não querem são tentados a fazê-los, e fazem-no. No mundo em que vivemos transformou-se quase numa necessidade de sobrevivência. Daí o perigo da falta de verdade. Daí o abrigo da verdade, da verdade de cada um, ser tão acessível pela conduta de cada um. O ser humano é uma imensa verdade, eis pois porque a verdade deve começar por aí. Por cada um. E se se for verdadeiro para si através das pessoas com as quais se convive, da casa à comunidade, a verdade não apenas conta, como contagia. Tem efeitos. E assim, espera-se, se contribui para um mundo melhor.

NCR

sábado, 24 de junho de 2006

Não há vergonha!!!

A historia que vos vou contar passou-se esta semana num estabelecimento que se diz de ensino superior cujo lema publicitário é qualquer coisa como "estar no centro da cidade…, sendo o aluno o centro do ensino"
A historia que vos vou contar não se passou comigo…, estou à vontade…., foi me contada por alguém de quem não tenho, de todo, razões para duvidar dos factos relatados…., e vocês por certo também não terão depois de os lerem.
A historia que vos vou contar passou-se com alunos finalistas da licenciatura em Direito, futuros…sei lá…., advogados ou quiçá magistrados. Talvez desempregados.
A historia que vos vou contar resume-se me meia dúzia de linhas.
Três alunos (X, Y e Z) copiaram uns pelos outros as respostas a um exame final. Tal exame era composto por duas perguntas teóricas e um caso pratico. Este, o caso pratico, valia metade da cotação da prova, ie 10 valores.
X resolveu o caso pratico. A solução foi copiada ipsis verbis por Y e Z.
Acontece porem que X resolveu mal o caso pratico. X não só aplicou preceitos jurídicos inaplicáveis à hipótese como se enganou na família e no ramo de direito a aplicar. Em vez de direito substantivo aplicou um diploma de direito adjectivo.
Querem saber qual foi a nota dos nossos três amigos?
Deve ter sido a mesma, pensam vocês…., chumbo valente!
Errado.
X teve 11 valores. Y teve 7 valores. Z teve 13 valores.
Três provas iguais, três soluções iguais, três erros iguais, três notas tão diferentes.
Quid iuris, ou melhor, Quid Jus?

PSL

quarta-feira, 21 de junho de 2006

A quadratura da bola (XV)

A quadratura da bola (XV)


Contas à lagarto

A verdadeira razão da necessidade que Portugal tem de ganhar o jogo de hoje não é evitar a Argentina nos oitavos de final, mas sim evitar a Alemanha nos quartos de final.
Eu explico estas contas à lagarto.
Hoje ganhamos e ficamos em primeiro lugar do grupo. Como a Holanda não ganha logo à noite aos Argentinos iremos defrontar a “laranja mecânica” nos oitavos e…, ganhamos. Nos quartos teremos de defrontar a Inglaterra que vai ganhar ao Equador. Ganhando aos Ingleses teremos a meia-final que nunca desejámos. Sim…, esses…, os Brasileiros. Um Portugal-Brasil antes da grande final entre Portugueses e Alemães ou Argentinos.
Ahhh…, como são boas de fazer as contas à lagarto.
Agora escolham.
Preferem ficar nas meias finais com o Brasil ou mesmo perder a final com a Alemanha ou… preferem perder com a Argentina já nos oitavos ou com a Alemanha nos quartos?
Escolhendo a segunda opção é só torcer pelo México hoje à tarde!

PSL

Um acidente de ultima hora…

…foi o que sucedeu à pouco no IC 19 diz um homem dentro de um helicóptero no Diário da Manha da TVI.
Logo a seguir o apresentador do programa ao dar a noticia (?!) de umas ondas com quatro metros que chegaram ontem à costa da América Central disse que "o mais incrível é que essas ondas se formaram a milhares de quilómetros de distancia".
É assim na informação da TVI…, onde o normal parece ser acidentes com hora marcada e ondas gigantes que se formam na Costa.

PSL

terça-feira, 20 de junho de 2006

A quadratura da bola (XIV)

Gelsenkirchen foi em Springfield

Alguém se lembra de um episódio dos Simpsons (sim esses...) em que o México defronta Portugal, e até onde Pelé aparece a ganhar mais uns “cobres” ?
O Suspirador (link) lembrou-se; genial é o mínimo para este excerto do episódio.
I kill myself if Portugal doesn't win!" diz a certo trecho Homer que logo que o jogo começa solta um sonoro “booooring”...
Amanhã todos esperamos um jogo ais animado no relvado e menos tumultuoso na cidade alemã ;)



PSL

Afinal…

TAP abandona processo de recuperação da Varig

DSCN3284


…e como uma má noticia nunca vem só!

A imprensa brasileira escreve hoje que a Varig pode fechar as portas às 24h00 de hoje por falta de verba para comprar combustível.

PSL

Há Liberdade (XXV)

PSL

segunda-feira, 19 de junho de 2006

Daqui a pouco na 2:…

…que é como quem diz lá prá meia noite e meia (assim pelo menos está previsto) estreia, com o episódio piloto, a serie norte-americana The "L" Word.



Não sabem do que se trata?
Então façam uma pequena pesquisa aqui mesmo na net.
Só não quero que depois venham dizer que não foram avisadas(os).
Beijos e abraços, respectivamente.

PSL

A quadratura da bola (XIII)

Uma das coisas menos positivas do Mundial na Alemanha tem sido o apoio nas bancadas. A regra tem sido “das bancadas só vem silencio”, o que prova uma vez mais que a generalidade dos que acompanham a sua selecção não é “gente da bola”. Excepção: Os jogos da equipa da casa, os cânticos Argentinos nos épicos 6-0, os emigrantes “Tugas” com o “allez, Portugal allez” e pouco mais.
Até ontem…


Impressionante é muito pouco para descrever a fé, a alma, a disponibilidade, a paixão com que os adeptos da Coreia do Sul apoiaram ontem a sua selecção contra a “anciã” França. Sem se calarem um minuto, com tambores e uns sei-lá-mais-o-quê ruidosos, com pinturas de guerra, trajas, faixas, cascois, panos e uma garganta sem fim…

De outro continente vem o exemplo de como se deve viver um jogo nas bancadas. Nesse aspecto já está encontrado o Campeão do Mundo.
Espero que também no campo os Coreanos vão longe. Ontem – apesar de um futebol tão rápido quanto confuso e raramente eficaz definitivamente, conquistaram a minha admiração e simpatia.
PSL

Tomam-nos por lorpas?

Há quinze dias foi o Expresso, hoje é o DN (PGR não sabe em quantos processos há escutas - link) amanhã será o 24 Horas ou até quem sabe a Maria.
Soa mal…, é esquisito, não é? Meia volta, volta e meia, lá vem a comunicação social com “papão” das escutas.
Ontem foi porque ninguém sabe quantas escutas se fazem em Portugal, hoje é porque não se sabe em quantos processos se fazem escutas, amanhã será porque não se sabe quantas conversas foram gravadas nas diferentes escutas que foram realizadas, depois de amanhã será outra “tanga” qualquer.
Sinceramente não compreendo a quem interessa lançar na opinião pública tal calúnia mas parece-me que o método é eficaz. Por um lado “agua mole em pedra dura…, “, por outro todos sabemos que uma mentira repetida até à exaustão rapidamente se transforma numa verdade insofismável.
Tomam-nos por lorpas?

PSL

A quadratura da bola (XII)

A Argentina que joga assim é mesmo a coisa mais importante do mundo.

Um post delicioso de PAS n’O Canhoto (link), para começar bem a semana.

domingo, 18 de junho de 2006

sábado, 17 de junho de 2006

"Todas as coisas excelentes são tão difíceis quanto raras"

O pensamento foi escrito por Espinoza, mas não pode deixar de ser de todos nós!

Há poucos ensaios tão fascinantes como o curto e intenso "A ideia de Europa" de George Steiner (Ed. Gradiva). Lê-se e relê-se não de um folgo mas sim de um suspiro, sendo fonte de imensa reflexão.
Muito mais do que uma "ideia de Europa" este trabalho conduz o leitor a uma introspecção sobre do que efectivamente é feita a essência dos nossos dias, ajudando a reforçar convicções diariamente abaladas com ideias como"(…) a dignidade do homo sapiens é precisamente essa: a percepção da sabedoria, a demanda do conhecimento desinteressado, a criação de beleza(…)".
Steiner sabe bem o que afirma quando conclui ser "(…) entre os filhos frequentemente cansados, divididos e confundidos de Atenas e Jerusalém que poderíamos regressar à convicção de que "a vida não reflectida" não é efectivamente digna de ser vivida(…)".
De leitura e contemplação obrigatórias.

PSL

quinta-feira, 15 de junho de 2006

JPP é assim...

...capaz do pior e do melhor num curto espaço de tempo.
Na publico hoje (só disponivel em assinatura):

Nos blogues há uma apoteose do presente, uma menorização do passado e uma inexistência do futuro que condicionam o tipo de escrita e o seu sucesso comunicacional

PSL

A quadratura da bola (XI)

Um primeiro balanço quando se inicia a segunda ronda de jogos neta fase de grupos deste mundial. O seu melhor são mesmo os “joguitos”…, entre as equipas – por uma ordem descendente – Republica Checa, Espanha e Alemanha.
O pior deste mundial, embora apenas indirectamente lhe diga respeito, é ter de levar com os pseudo-cientifco-filosofico-futebolisticos comentários de José Peseiro (esta sim é a verdadeira picareta-falante!!!) nas transmissões da SportTv. Já sabíamos que o homem era um treinador medíocre agora sabemos que para ganhar a vida talvez seja melhor, em definitivo, mudar de ramo.
Ahh…, e gostei muito das declarações de Costinha, ontem, em apoio de Scolari…
Quanto a Portugal…, pode por as barbas de molho…., é bom que os portugueses baixem a fasquia das expectativas, não tanto pela qualidade da nossa selecção mas sobretudo pelo nível competitivo de muitas outras.

PSL

O que é bom para a TAP é bom para Portugal?

Presidente da TAP confirma interesse na compra da Varig

A esta distância parece-me um grande e excelente negócio para Portugal devendo a TAP entrar sozinha no mesmo e como diz o seu Presidente comprar a empresa inteira.

PSL

quarta-feira, 14 de junho de 2006

Há Liberdade (XXIII)

bb_em_branco_helder_almeida

Ainda dizem…

Futebol dá retorno de 82 milhões à PT

…que investir no futebol é mau negócio.
Da notícia resultam duas notas importantes. Por um lado também aqui o Benfica é enorme face aos outros grandes. Em segundo, as SAD têm um longo caminho pela frente até se tornarem empresas geridas por critérios verdadeiramente eficazes, estando a vender a sua marca por bem menos do que ela vale.

PSL

segunda-feira, 12 de junho de 2006

Vou ali já venho…

Já sabíamos que JPP é uma pessoa com mau feitio e cheio de manias, o que em si não tem de ser propriamente mau. Mas agora ficámos a saber que JPP é um homem chato e um ser infeliz.

E porque hoje é é véspera de dia de Santo António, o que significa que amanhã é feriado aqui em Lisboa, vou dar razão ao chato JPP. Duplamente razão. Hoje à noite será dia de pular e saltar (e não só "pelo Esférico") comer e beber, e dançar e viver! Tudo isto depois de ver muita bola pela tarde fora…

Que viva pois o Santo António!

PSL

O lambe chuteiras

Ao longo da vida tenho conhecido (quem não conhece…?) muitos lambe botas. Para todos os gostos. Há os divertidos, os insuportáveis, os castiços e aqueles que não são nada mais a não ser lambe botas. Em bom rigor o lambe-botismo é a verdadeira ideologia nacional.
Ontem ao acompanhar o Portugal-Angola na SIC e não na SportTV conheci mais uma variante desta espécie “tão Tuga”.
Minutos antes do começo da partida, e no momento imediatamente anterior ao inicio das praxes mundialistas (entrada em campo das equipas, hinos, etc etc…) quem é que aparece no ecran? Ele mesmo, o omnipresente Primeiro-ministro de Portugal. O discurso vazio do costume – agora em versão futebolês, oco e de circunstancia. A tropeçar nas palavras tal e qual Pedro Mantorras tropeça nas próprias pernas.
A bola lá correu, Portugal cumpriu os serviços mínimos e…, assim que termina o jogo começa o telejornal da estação de Carnaxide e antes de tudo o mais quem é que aparece à janela televisiva?
Não, não foi o emplastro mas sim, de novo, José Sócrates, nem mais. Desta vez o Primeiro-ministro de Portugal para alem de tropeçar nas palavras…, engasgou-se (!?) varias vezes com elas. Ou foi do repasto ou da graxa com que untava as chuteiras dos meninos da selecção.


Adepto alemão ontem em Colónia no jogo Portugal-Angola, “Mama, estou na televisão. Oli”. Foto de Gabriel Bouys/AFP
Muito bem! Ontem ficou bem claro que Sócrates não é de esquerda nem de direita, nem socialista nem social-democrata. Muito menos neo-liberal. Sócrates, ontem, inaugurou uma nova ideologia: o lambe-chuteirismo
Fica apenas uma dúvida. Terá ido de Falcon a Colónia?
Parece que sim…, mas segundo JCD (link) tinha uma reunião em Paris.
Fica então outra duvida.
A quem foi lamber as botas deste vez?


PSL

Três tristes ET´s, que eram quatro.

A RTP foi tentar entrevistar meia dúzia de extra terrestres ao King, ontem, pelas 19 e 30, hora do Portugal-Angola. Um desses ET’s que apresentava cerca de sessenta anos de um terráqueo disse à reportagem que nem sequer sabia que estava a dar o futebol. Outros dois ET´s que se assemelhavam a homo sapiens sapiens do sexo feminino disseram não gostar de futebol e nunca ter entrado num estádio. Finalmente um quarto ET, jovem, mas de barba e de óculos redondinhos com ar de neo-Trotskista e adepto da associação animal revelou ser muito mais importante ver um documentário do que vinte e dois Homens a chutar uma bola.
Consta que o King, ontem, passava uma sessão especial de “Plan 9 from outer space” de Ed Wood.

PSL

7 AM

Nas próximas semanas este blogue será bem mais matutino do que vespertino…

sexta-feira, 9 de junho de 2006

TPC: Porque há mais vida para alem da bola…

(…)todo o direito é positivo e os positivistas tinham razão.(…)” escreve Gonçalo(excelente texto), no reforma da Justiça.
Pelo menos para os juristas é um bom escrito para meditar no fim-de-semana.

PSL

A quadratura da bola (X)

...começou!





A quadratura da bola (IX)

Finalmente! Está a começar.

A quadratura da bola (VIII)

Se eu fosse uma selecção de futebol presente no Mundial, qual seria?



Você é a Selecção do Trinidá e Tobago:
Você é o mais cool possível, com uma atitude permanente de “’tá-se bem!”. Não gosta de formalismos e quer ser a alma de qualquer festa. Não liga à pontualidade, e despreza quem se leva demasiado a sério. Para si a vida é uma praia tropical, uma bebida fresca e alegria! Não existem problemas, só existem soluções e se algo correr mal, você descansa...e espera que passe. Para si ganhar é pretexto para uma festa de arromba...e perder também!


A Charlotte seria a selecção do Togo. A Rititi de Portugal. O Rodrigo Adão da Fonseca a do Brasil

E tu, que selecção serias?

quinta-feira, 8 de junho de 2006

A quadratura da bola (VII)

Afinal a porrada dada por esse grande génio do cacete que nasceu numa ilha atlântica, Cristiano Ronaldo de sua graça – alguem entende porque é que o jovem, claramente fora de forma, será titular no proximo domingo? - , foi sancionada pelos árbitros do Portugal-Cabo Verde e do Luxemburgo-Portugal.
Só hoje a imagem reveladora chegou à “redacção” do ARCÁDIA.

PSL

Insanidades

Em exibição aqui (link), num computador perto de si.

Pinho e Abel

A autorização de Manuel Pinho sobre a compra de 40% das Auto-estradas do Atlântico por parte da BRISA é uma vergonha e uma vénia inadmissível perante o poder da BRISA, cuja 'fortuna' cresce desmesuradamente a olhos vistos à custa dos condutores deste país!
É um mau sinal para a economia, os consumidores, o Governo nacional e o próprio Ministro, pois quem nos diz que não há barganhas pessoais por detrás da autorização, quando o órgão legítimo, competente e especializado na matéria estudou, deliberou e fundamentou o abuso de posição dominante no mercado que esta autorização acarretaria?!

NCR

quarta-feira, 7 de junho de 2006

Verdade e consequência

Hoje aqui no trabalho, na primeira pagina do “jornal da caserna” está a reportagem de ontem na RTP1 e a consequente detenção do rapaz das armas. Eu não vi o programa em causa, mas parece que a RTPN vai recupera-lo no fim de semana. Fazem bem os senhores da televisão do Estado, pois estas reportagens são boas, são. São boas para recuperar fantasmas esquecidos e recontar os esqueletos no armário.

Obviamente que aqui entre os meus colegas houve quem defende-se (sem imaginar sequer o que estava a dizer) a posição: “em certas coisas o gajo até tem razão, um dia destes isto é só pretos...”.



Hoje, Mário Machado, conseguiu esta coisa fantástica “(...)prestou declarações aos jornalistas a partir do interior de uma carrinha celular que o transportou até ao TIC(...)”.
E disse “(...)"O meu único crime é ser nacionalista num Estado opressor socialista", dirigido por um "Governo fantoche nas mãos de accionistas"(...)”.

A cada um fica o labor de retirar de todo este episódio, que parece estar ainda no inicio, as respectivas verdades e as devidas consequências.

PS: Já todos sabemos que a blogosfera é uma poderosa ferramenta. Foto retirada deste blogue (link). O próprio Mário Machado teve o seu blogue (link).

PSL

Campo Contra Campo (XLIX)

Infiltrado, ****

Excelente, esta película de Spike Lee.
Por pouco não perdi aquilo que seguramente é um dois filmes do momento nas salas portuguesas, que desde já (antes que me esqueça...) sugiro o visionamento ou mesmo o re-visionamento.


É fácil escrever umas linhas sobre Inside Man. Um poderoso argumento sustentado nos charmosos clichés hollywodianos do “assalto ao banco” e do “segredo da mala” aqui travestido de “segredo do cofre” são o pano de fundo para pouco mais de duas horas de um filme montado no ritmo certo que nos surpreende e atrai a cada sequência.
Com uma cinematografia clássica, onde pontificam fabulosos movimentos de câmara (seria fastidioso referir todas as cenas que nos ficam na retina mas há uma verdadeiramente inolvidável quando após o assalto final ao banco, a steady cam - magnifico movimento, perfeito! - baila durante mais de um minuto pelo propositadamente labiríntico espaço do banco em torno de Denzel Washington na busca do cadáver que suspeita o espectador não existe) mas onde as novas técnicas não são olvidadas; Spike Lee assina um filme poderoso, em tom suavemente critico, que funciona como uma diagonal fulgurante em torno de diversos temas muito actuais (os “poderosos” e como se protegem, o racismo, os traumas pós 9/11, a promiscuidade entre política e dinheiro, as guerrilhas dentro das corporações policiais) apelando à tal reflexão social.


A direcção de actores, como sempre no realizados Norte-americano, roça igualmente a perfeição e aqui Denzel Washington assume-se como a estrela máxima de um cintilante firmamento.
Como tal, “Infiltrado” é muito mais do que mais um filme sobre o assalto a um banco. É quase uma obra-prima, sobre os dias que correm. É em Nova Iorque, com as devidas adaptações, podia ser em Lisboa.

PSL

Simplex é?

Resolva o seguinte problema:
Uma imóvel sito na cidade de Lisboagrado capital da Portugalândia tem um valor patrimonial X. Um imposto a pagar anualmente por ser proprietário dessa imóvel é igual a 0,4% do valor patrimonial do mesmo.
Calcule tal imposto sem saber o valor patrimonial.

Eu dou uma ajuda para quem vê enorme dificuldade nesta coisa de uma equação com uma (?!) incógnita...
..ora sendo Y o valor do imposto a pagar temos então: Y=X*0.004.
Sim, calcule Y sem saber X.

Ora, Simplex é estar mais de uma hora numa fila de uma repartição de finanças apenas para saber como se calculam os novos IMI e IMT, e sair de lá a saber como se calcula o imposto, mas não saber, porque ninguém sabe explicar, quais as constantes com que se calcula tal imposto.
Um sonoro BRAVO!, ao bravos heróis do simplex!


PSL

terça-feira, 6 de junho de 2006

A quadratura da bola (VI)

A generalidade da televisão que tem como fonte directa ou indirecta o Mundial de futebol, incomoda, roça o ridículo e é nociva à massa cinzenta.
Como ilustração do que acabo de dizer podia contar-vos a experiência verdadeiramente transcendente de ter, assistido ontem à tarde em directo pela sic noticias e pela sport tv a uma coisa que simplesmente não estava a acontecer.
Escrevo sobre o já famoso treino da selecção, algures numa terra alemã de nome impronunciavel mas parecido com a marca de uma cerveja de que gosto particularmente, que juntou mais de doze mil (!?) “portugueses que andam lá fora a lutar pela vida” nas bancadas de um estádio de futebol. E a coisa não estava a acontecer porque os “donos da bola” atrasaram-se quase uma hora a subir ao relvado tempo ocupado pelas tv´s com “pormenores de reportagem” que iam do simples mau gosto à remelosa repetição ad nauseum. Quer me parecer que isto ainda é só o inicio...

Mas este post não era para dizer mal – e já aqui vai...
No meio de tanto lixo, existem dois oásis e um palmeiral que merecem a atenção de todos, dos que amam aos que odeiam a competição suprema do “jogo da bola”.
Começando pelo palmeiral a sic noticias passa à hora certa (uma e meia, não da tarde mas sim da noite) um magazine encomendado pela FIFA que de forma rápida (por vezes excessivamente rápida) nos dá a conhecer os protagonistas e os locais do próximo Mundial. Informação, sucinta e sumarenta, sem fait divers inúteis, como toda a informação televisionada devia de ser.

Quanto aos oásis, um passa na RTPN também à hora certa (22h). É uma produção da ESPN Brasil e chama-se C.O.P.A. que é como que diz Cultura, Organização, Política e Arte. É uma visão declaradamente comprometida e apaixonada, para o Mundo saber como os brasileiros vêem a Copa. O titulo dos documentários dizem tudo (um dos que vi chamava-se genialmente “Os super-homens e o sputnik contra o menino-rei e o demónio das pernas tortas”) e seria bom que fosse visto por aqueles que pensam que futebol são vinte e dois parvalhões que correm desalmadamente na ânsia de enfiar uma bola num espaço rectangular com uma rede.

A cereja em cima do bolo é uma produção da BBC denominada “Muito mais que um jogo” que passa “à hora que calha” nas noites da RTP1. A riqueza deste conjunto de seis documentários está nas excelentes imagens de arquivo que ilustram bem o apaixonante carnaval de emoções que é um campeonato do mundo de futebol. A não perder.

Já agora..., hoje a Sport tv passa às 20h “Goal” o filme oficial da competição de 1966, onde os “Magriços” comandados pelo jovem Eusébio espantaram o Mundo. Suspeito que deve ser muito bom...

PSL

E agora algo completamente diferente...

...a provar que um blogue nunca pode ser “apenas” mono-tematico (ou monocromático), que a riqueza está na diversidade, mas também que há mais vida do que Direito.
Dalí e Picasso, de que este post (link) é apenas um exemplo num dia em que ficamos a saber (link) que é obrigatório passar (pelo menos) um fim de semana em Madrid até dia 3 de Setembro.

PSL

Assim há menos Liberdade

Bandeira cor de magoa...

...pelo menos para o surfista!

PSL

segunda-feira, 5 de junho de 2006

PALETA DE PALAVRAS XLVI

«A Realpolitik foi sempre menos perigosa do que o idealismo e a ingenuidade na cena internacional»

José Miguel Júdice, Público, 2 de Junho.
The Funeral - Band of Horses


Os problemas desta música no post em baixo, levou-me a encontrar o video. A realização é de Matt Lenski, o realizador dos videos dos Zero 7. Quanto ao dos Band of Horses, digam lá se não faz lembrar um filme de John Cassevetes.

Esta música é um assombro.

NCR

Músicas do fim-de-semana

The Funeral - Band Of Horses


Esta é, para mim, uma das melhores músicas deste semestre. Oiçam a música toda, até ao fim, que vale bem a pena. Download da música toda, aqui

Wicked - Band of Horses


NCR

sexta-feira, 2 de junho de 2006

A não perder

O papel dos cronistas: peixes dentro ou fora de água?ENTRELINHAS convida a blogosfera nacional para um debate sobre " O papel dos cronistas: peixes dentro ou fora de água?", com
Miguel Poiares Maduro
Rui Tavares
Pedro Mexia
Luciano Amaral
Pedro Lomba
e Maria de de Lurdes Vale (moderadora)

Terá lugar no Café dos Teatros (Rua António Maria Cardoso, 38, em Lisboa, Chiado), no próximo sábado, 3 de Junho de 2006, pelas 18h30, e assinalará a apresentação do livro «Crónicas de um peixe fora de água» , de Miguel Poiares Maduro.


via informática do direito (link)

PSL

E por magia…

…o editor deste blogue…
…voltou a reconhecer o comando associado à tecla enter.
Afinal, BB, não foi preciso trocar o teclado ;)

PSL

Valente Cavaco!

O Presidente da República vetou hoje a Lei da Paridade.