terça-feira, 28 de abril de 2009

Da bestialização do homem

A progressiva proibição de touradas merece mais do que simples palavras iradas.
Ao abrigo de uma putativa superioridade moral e civilizacional, alguns grupos de defesa dos direitos dos animais tem conseguido fazer valer as suas posições perante autarcas frágeis, vendidos, e, sobretudo, ignorantes.

Desde logo, tais associações são uma espécie de anacronismo, pois defendem uma coisa que em bom rigor não existe. De facto, os animais por si só não são detentores de direitos; os homens é que têm deveres para com os animais. Atribuir direitos aos animais (e defende-los, às vezes com violência verbal e mesmo física) mais não é do que um brutal acto de bestialização do humano que apenas pode ser compreendido com recurso ao foro psiquiátrico.

A própria progressiva proibição das touradas, que remeterá no futuro os seus amantes para pequenos redutos (pequenas “aldeias gaulesas” ceradas por modernos “romanos” que no fundo mais não são do que os pós-modernos bárbaros) – um gueto é um gueto é um gueto, mais não é do que uma clara manifestação da presente bestialização do homem emoldurada por ciência da mais actual.

Aos aficionados (e eu nem sequer me considero como tal) apenas restará uma atitude: resistir e lutar pela dignificação do Homem enquanto Valor. Ao faze-lo estarão ainda a lutar pela nossa saúde mental enquanto nos fazem um enorme favor.

4 comentários:

Lamy disse...

Bestialidade é pensar que os homens é k têm direitos e os animais estão aki pura e só p nos servir....

"Atribuir direitos aos animais (e defende-los, às vezes com violência verbal e mesmo física) mais não é do que um brutal acto de bestialização do humano que apenas pode ser compreendido com recurso ao foro psiquiátrico."

problemas do foro psicologico é kem pensa que os animais devem sofrer enqanto m empanturro c espetaculo de sangue...
dá me pena alguem k escreva tamanha estupidez, barbaridade....aficionados....por favor....dieitos de quem gosta de tão horrivel estupidez....
Oxalá seja tudo proiido e que barrancos seja o sitio onde acaem com um regime de excepção da treta...

Fernando Morais disse...

Agrandeza do ser humano está na sua compreensão de tudo o que o rodeia no âmbito da Natureza.E essa grandeza não pode ser posta em causa por pessoas que ainda não podem ser considerados Homens a tempo inteiro. São essas pessoas que não aceitam a luta contra as touradas,porque eles ainda não sairam da selvajeria dos tempos de Roma imperial.

Filipe disse...

Não se trata de defender o que quer que seja ou até entrar em grupos de defesa disto e daquilo. Do que devemos tratar é de ser inteligentes e perceber que a Vida não se pode resumir a uma lógica mercantil, ou de tradições ou até de gostos. A Vida é um milagre excepcional, temos, os que cá andamos, a benção de poder ver a luz de tudo o que nos rodeia, fomos prendados com uma benesse que não queremos aproveitar...Em que é que pensamos? Touradas, com animais ou com gente, tanto faz, o que é preciso é sangue na arena. Nós ao fazermos parte do ambiente somos o ambiente com os nossos ódios, paixões, desejos bons ou maus, somos tudo isso e mesmo que queiramos não nos podemos dissociar disso. Se não respeitamos o próximo, seja animal, natureza ou pessoas, como poderemos aspirar a ter paz no mundo, comida, abrigo e ensino para todos? estamos demasiadamente preocupados com touradas e futebois e depois esbracejamos contra a miséria no mundo. Enquanto formos miseráveis o mundo será miserável, nós somos o mundo, nós fazemos o mundo!
O que se impõe é uma mudança de atitude perante os factos, desde logo o alimentar, porque se há pessoas com posses para comer bifes todos os dias e irem a touradas outros há que não têm o que comer. O pasto que alimenta o gado que se irá traduzir em bifes daria para alimentar milhares de esfomeados em cereal. E nós discutimos touradas.
Mudança de cosciência é uma imposição que se não for efectuada a bem sê-lo-á a mal, à custa de guerras cada vez mais fraticidas...E nós preocupados com touradas!
Acordemos todos e pensemos um mundo novo isento de apetites egoicos, seja porque é tradição ou porque eu quero, eu posso, eu mando e comecemos a perceber que Ser Humano é de grande responsabilidade e de forma adulta devemos entender que o que não é bom para o animal não é bom para mim, o que não é bom para a netureza não é bom para mim. Espermos que a história ainda nos possa julgar...mas pelo andar da carruagem não chegaremos lá. Faz-me lembrar a história do Titanic (filme) em que o barco se afundava e havia pessoas a jogar ás cartas...

Dylan disse...

"Touradas deprimentes"

É asqueroso ver como o "lobby" tauromáquico se movimenta em Portugal. Já não bastava o "serviço público" da RTP oferecer este espectáculo retrógrado, também a TVI, e agora mais recentemente a SIC, associam-se a estas lides degradantes e cobardes. De facto, ninguém duvida de que o Homem consegue ser superior a qualquer animal ao usar as suas armas. Hilariante seria ver o toureiro nu em frente ao touro numa arena! Este enorme mamífero, ao ter sistema nervoso central, tem capacidade para sentir dor, ansiedade, medo e sofrimento. Infelizmente existem pessoas que enriquecem com o sangue derramado de outrem – são os patrocinadores - acotovelam-se para colocarem os seus reclames nestes anfiteatros. Outros falam em nome dos costumes ignorando que as tradições nunca se deveriam sobrepor á prática de valores nobres e dignos. Como disse Gandhi, "a grandeza de uma nação pode ser julgada pela forma como os seus animais são tratados". Já agora, a ablação feminina também não é uma tradição?

http://dylans.blogs.sapo.pt/