quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Os sacrifícios não são para todos

Na mesma semana em que os funcionários públicos souberam que vão ter cortes adicionais nos seus vencimentos e em que os serviços públicos (escolas, hospitais, tribunais, etc.) souberam que vão ter cortes nos seus orçamentos, a aprovação do aumento do financiamento público a escolas privadas não pode ser senão uma provocação.

No meio do sacrifício popular, salvam-se as Instituições Particulares de Solidariedade Social e as escolas privadas. Não admira portanto que a Igreja Católica portuguesa esteja disponível para discutir os feriados religiosos...

2 comentários:

Sofia disse...

Este governo é uma autêntica anedota...
É revoltante.

http://digamquevoei.blogspot.com/

Anónimo disse...

Cortar mais nos mesmos!
Então e o despesismo? Institutos, parcerias, empresas municipais...
Este governo, tal como os anteriores, é uma autêntico pesadelo...